processo de adoção

Como iniciar um processo de adoção?

O processo de adoção é algo totalmente gratuito e deverá ser iniciado na Vara de Infância e Juventude da sua cidade. A idade mínima para se habilitar à adoção é de 18 anos, sendo independentemente do estado civil, desde que seja respeitada a diferença de 16 anos entre a pessoa que deseja adotar e a criança que será adotada.

Desde que todo os padrões em que o novo Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento tenha sido implementado, é fundamental realizar um pré-cadastro com a qualificação completa, com todos os dados familiares e o perfil da criança ou do adolescente desejado para a adoção.

O CNJ, sigla de Conselho Nacional de Justiça, indica as etapas que pais e mães devem cumprir para que eles possam adotar uma criança: o curso preparatório, podendo ser Curso Online ou presencial e as entrevistas até a guarda provisória e a adoção definitiva da criança. Pais e mães que pretendem adotar devem passar por diversas etapas, que são indicadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em média, o processo pode durar até um ano, porém isso será dependente sobre as exigências dos adultos e da disponibilidade de crianças com o perfil que foi desejado pelos pais.

Confira neste artigo o passo a passo para a adoção de uma criança no Brasil.

Então, pegue caneta e papel, e anote tudo que vamos lhe passar.

Vamos lá?

Primeiro passo: Decisão de adotar

Todos aqueles que decidem adotar devem procurar a Vara de Infância e Juventude de seu município. A idade mínima para se habilitar à adoção será de 18 anos, a adoção será independentemente do estado civil, desde que seja respeitada a diferença de 16 anos entre a pessoa que deseja adotar e a criança que será adotada

Documentos exigidos são: identidade, CPF, certidão de casamento ou nascimento, comprovante de residência, comprovante de rendimentos, atestado médico de sanidade física e mental, certidões cível e criminal.

Segundo passo: Início do processo para a adoção

Primeiramente é preciso fazer uma petição, que deverá ser preparada por um defensor público ou advogado particular. A petição terá o objetivo de dar início ao processo de inscrição para adoção, que será dentro do cartório da Vara de Infância. Somente depois de aprovado, o nome de quem deseja adotar poderá entrar nos cadastros de pretendentes à adoção.

Terceiro passo: Preparação dos futuros pais

Um curso de preparação psicossocial e jurídica é obrigatório para a adoção, podendo ser um Curso Online ou presencial. O curso tem em média uma duração de dois meses.

Com a comprovação da participação no curso, o candidato será submetido à avaliação psicossocial com entrevistas e visita domiciliar que serão feitas pela equipe técnica interprofissional. Algumas visitas irão avaliar a situação socioeconômica e psicoemocional dos futuros pais adotivos. O resultado da avaliação será encaminhado ao Ministério Público e ao juiz da Vara de Infância.

Quarto passo: Quem pode adotar?

Os que podem adotar são: casados, pessoas solteiras, viúvas e os que vivem em união estável podem adotar.

A adoção por casais homoafetivos ainda não está estabelecida totalmente em lei, porém alguns juízes já adotaram decisões favoráveis a eles.

Quinto passo: Perfil desejado da criança

Durante uma entrevista, o pretendente à adoção deve descrever o perfil da criança que é desejada. É possível escolher o sexo, a faixa etária, o estado de saúde, os irmãos, entre outros. Porém, quando a criança tem irmãos, a lei prevê que o grupo jamais seja separado.

Sexto passo: Inclusão no CNA

A partir do laudo da equipe técnica da Vara e do parecer emitido pelo Ministério Público. O nome do candidato será inserido nos cadastros de adoção, que será válido por dois anos em território nacional.

Sétimo passo: Aprovado ou reprovado

Dentro da fila de adoção, o candidato deverá aguardar até aparecer uma criança com o perfil compatível com o desejo. O estilo de vida incompatível com a criação de uma criança ou razões equivocadas podem inviabilizar a adoção. Sendo possível se adequar ou começar o processo novamente.

Oitavo passo: Criança

A Vara de Infância avisa quando existe alguma criança com o perfil exato com que foi indicado pelos pais que desejam adotar. O histórico de vida da criança será apresentado a eles e se houver interesse, ambos serão apresentados.

Além dos pais, a criança também será entrevistada após o encontro e deverá dizer se quer ou não continuar com o processo de adoção. Durante o estágio de convivência monitorado pela Justiça e pela equipe técnica, é permitido visitar o abrigo onde a criança está e dar pequenos passeios com a mesma.

A prática de visitar um determinado abrigo e escolher o filho a partir daquelas crianças não é mais utilizada, pois a Vara deseja evitar que as crianças se sintam como objetos em exposição.

Nono passo: Conhecendo a criança

Se o relacionamento entre os pais e a criança ocorrer bem, a criança será liberada e o pretendente deverá ajuizar a ação de adoção.

Com o processo de adoção, o pretendente receberá a guarda provisória da criança, que terá a validade até a conclusão do processo. Com isso, a criança passará a morar com a família. E a equipe técnica continua fazendo as visitas periódicas e até apresentando uma avaliação conclusiva sobre o caso.

Décimo passo: O dia D

O juiz irá proferir a sentença de adoção e determinar a lavratura do novo registro de nascimento, já com o sobrenome da nova família.

Haverá a possibilidade também de trocar o primeiro nome da criança. Com isso, a criança passará a ter todos os direitos de um filho biológico.

Depois de ler sobre como iniciar um processo de adoção, você ficou com alguma dúvida?

Se você gostou do que leu, comente aqui embaixo sobre essas dicas e mande os resultados logo a seguir. E se quiser compartilhe essas dicas com os seus amigos e amigas.

Grande abraço e até o próximo post!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *